Noticias da Triplice fronteira

362

362

Cidade Destaque Geral Notícia

Corrupção na Plena Paz ainda atordoa Sidnei Prestes

Candidato é acusado de desvios de vales-transporte e desvio de recursos em convênio

Um esquema de corrupção Associação Plena Paz ocorrido entre 2009 e 2010, no governo de Paulo Mac Donald Ghisi, ainda atordoa o ex-secretário da Juventude, Sidnei Prestes Junior – candidato a prefeito pelo Republicanos. Na época, a Câmara de Vereadores, através de uma comissão de inquérito, investigou o esquema e arrolou Sidnei Prestes que prestou depoimento e disse que não tinha a ver com aquilo.

Atualmente, o candidato é positivado na Justiça com quatro ações ainda em trâmite que chegam a R$ 201 mil, uma delas é uma ação civil pública, de 2009, movida pelo Ministério Público na 3ª Vara de Fazenda Pública que o acusa de crime de improbidade administrativa.

O caso que mais incomoda Sidnei Prestes que não o deixa respirar direito – tirou o nariz para fora d’água, leva bordoada – é o esquema de corrupção na Associação Plena Paz. A comissão de inquérito levantou suspeitas de um desvio de R$ 148 mil (R$ 299 mil, em valores atualizados), um convênio de R$ 408 mil (R$ 824 mil, em valores atualizados) e venda de vales-transporte

Corrupção – “Segundo o presidente da entidade, pastor Celso do Amaral, Prestes teria ficado com R$18 mil reais do repasse de R$50 mil feito pela Secretaria Antidrogas. Ainda embasado no depoimento do pastor Celso ao Ministério Público, o ex-secretário foi questionado sobre a venda de 12 mil vales-transporte, cujo lucro seria para ajudá-lo em campanha”, diz nota da Câmara de Vereadores postada pela assessoria de imprensa do legislativo.

O contador Delmo Aparecido Bertolazo, que também prestou depoimento na Câmara Municipal, teria intermediado a venda dos vales-transporte e afirmou porém, que Sidnei disse que, “se você for procurado, diga que não me conhece. Estranhei o pedido, porque realmente não o conhecia”, contou o contador”, segundo a nota do legislativo.

Em outra ocasião, também em depoimento, o fundador da entidade, Paulo Roque, chegou a alertar também a Câmara Municipal a respeito de um convênio que estavam articulando de R$ 408 mil, mas o projeto de lei que dispõe sobre a concessão de subvenção social a entidades filantrópicas, a Associação Plena Paz, foi aprovado.

Desvios – Apesar das denúncias, o esquema continuou. E segundo o depoimento, Sidnei Prestes estaria envolvido no esquema de corrupção, que teria dividido R$50 mil com Celso do Amaral. Esse dinheiro seria usado para reforma do Horto Municipal, onde estava instalada a entidade.

Os dois últimos parágrafos são trechos da matéria da assessoria de imprensa do legislativo municipal.
Em depoimento à comissão de inquérito, Sidnei Prestes refutou as acusações.”Nenhuma surpresa o Sidnei Prestes dizer que não sabe de nada. Tem sido a voz corrente dos denunciados neste esquema de corrupção. Prestes começou a perder o rebolado quando os vereadores quiseram saber de sua atuação na ‘aliança jovem’, aquela arapuca criada para dar emprego aos jovens da cidade, só que cobrava uma comissão, que foi denunciada pela TV Cataratas”, observou na época o colunista Eduardo Lucas.

Noticias da época: http://www.cmfi.pr.gov.br/noticiasdetalhesV.php?p2=1688 , http://www.camarafoz.pr.gov.br/noticiasdetalhesV.php?p2=1669

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *