Noticias da Triplice fronteira

Cidade Destaque Últimas

Secretário Gilmar Piolla esclarece dúvidas sobre Foz Juros Zero

Diante de diversas reclamações e dúvidas a respeito do acesso ao crédito disponibilizado pelo Foz Juros Zero, medida tomada para auxiliar autônomos e MEIs para o enfrentamento da crise econômica trazida pelo novo coronavírus, o Secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Assuntos Estratégicos, Gilmar Piolla, compareceu à Câmara de Vereadores para esclarecer dúvidas e medidas adotadas para facilitar acesso ao cidadão. Segundo o secretário, 424 pessoas já tiveram crédito liberado e alguns estão com análise em andamento pela Fomento Paraná, que depende de Curitiba.


“Foz do Iguaçu disponibilizou um orçamento de R$ 3 milhões com recursos de royalties para fazer alavancagem com melhores condições possíveis. Inicialmente fizemos contratação emergencial. Foram várias instituições consultadas. Conseguimos uma negociação muito boa com a Fomento Paraná, por meio da linha Paraná Recupera. Conseguimos carência de 12 meses e prazo de 25 meses para pagamento e foram aprovadas linhas de créditos para MEIs e autônomos”, disse Piolla.

Retorno aos atendimentos presenciais para facilitar

Segundo o Secretário, como tem muita gente com dificuldade de enviar arquivos por e-mail, foi iniciado atendimento presencial há três semanas. A ACIFI forneceu um espaço físico e estamos realizando cerca de 80 atendimentos presenciais por dia. Foram até agora 424 pessoas que tiveram crédito liberado e 416 pessoas que estão aguardando análise final da Fomento Paraná. Recrutamos diversas pessoas dos CATs, do Marketing, reforçamos nossa equipe com mais 8 pessoas e o SEBRAE com mais 12 pessoas. Destacamos que 5.899 ligações e mensagens de whatsapp foram atendidas. Estamos com agendamentos até 09 de julho preenchidos. Nós fomos a primeira agência do trabalhador do Paraná a reabrir porque as pessoas estavam tendo dificuldades no seguro desemprego e foram mais 2054 trabalhadores da cidade que conseguiram acessar o seguro”, afirmou Piolla.


O vereador Celino Fertrin (Podemos) pontuou: “Estamos aqui atendendo ao clamor da população. Algumas pessoas afirmaram não entender o sistema. Tem gente nos passando a informação que não está conseguindo agendar horário para atendimento. Alguns questionamentos são sobre créditos aprovados e demora para liberação do valor”.


A respeito desse questionamento, Piolla explicou: “Tenho recebido demandas e temos dado retorno para as pessoas. Não é o fato de estar documentação ok que já vai estar liberado. O recurso, porque quem está com a documentação ok, nós cadastramos no sistema do Fomento Paraná, que aí vai para assinatura do contrato e para posterior liberação. Em Curitiba estamos levando de duas a três semanas para obter liberação porque eles estão com uma fila de 30 mil processos para liberar”. Segundo o secretário, “uma dificuldade também apresentada são de pessoas que agendam atendimento presencial e não comparecem”.

Débitos, avalistas e Serasa

Em resposta ao Vereador Elizeu Liberato (PL) que questionou a respeito de débitos e consultas ao Cadin e Serasa que estariam dificultando as pessoas a terem acesso ao crédito, Piolla disse que “o Governador do Paraná determinou que contas de luz e água após início da pandemia, que não serão lançadas no Cadin neste momento. O que está dando problema são contas anteriores ao início da pandemia. Sobre Serasa e SPC a Fomento Paraná tomou a decisão de dispensar consulta. Ela só não pode dispensar consulta ao CADIN e BACEN, que são normas federais”, esclareceu Piolla.

Passo a passo para acessar o crédito

O Vereador Rudinei de Moura (Patriota) sugeriu que a Secretaria fizesse uma cartilha ao cidadão, em formato PDF, para tornar mais fácil o entendimento das pessoas. Sobre isso, o secretário pontuou alguns requisitos: “Para obtenção da linha de 6 mil reais é necessário cópia certificado do MEI, cópia comprovante conta corrente, autorização consulta ao Bacen, uma selfie do requerimento, cópia de documento correspondente a Selfie, cópia do comprovante de endereço atual e cópia de documento de identidade de cônjuge. Não precisa de fiador. Temos quase 700 pendências de documento, em que então está faltando algum tipo de documento desses”, afirmou Piolla.

LEAVE A RESPONSE