Índice de chuvas afetou preço das hortaliças no mês de janeiro, aponta Cepecon/UNILA

As hortaliças e verduras foram os produtos da cesta básica que tiveram maior alta nos preços no mês de janeiro. De acordo com a pesquisa mensal do Centro de Pesquisas Econômicas e Aplicadas (Cepecon) da UNILA, a baixa oferta no mercado em consequência das chuvas do começo de ano foi a causa do aumento de 15,2% em relação ao mês anterior. No geral, o Índice de Preços ao Consumidor de Foz do Iguaçu (IPC-Foz) dos itens da cesta básica aumentou 0,42% em janeiro.

Entre as hortaliças e verduras, o cheiro-verde apresentou a maior alta no período, de 29,4%. A couve e a alface também ficaram 27% e 13,1% mais caras, respectivamente. Já entre os tubérculos, raízes e legumes, o aumento foi de 9,9% no mês, com destaque para
a cebola (29,3%) e o tomate, que está 33,8% mais caro. O alto índice pluviométrico nas regiões produtoras tem dificultado a colheita da cebola e seu escoamento. Com isso, a oferta se reduz impactando nos preços. Já no caso do tomate, a expectativa é de que os preços recuem nas próximas semanas uma vez que a colheita está se intensificando.

Por outro lado, o preço das carnes recuou cerca de 1,6% em janeiro, devido à demanda enfraquecida nos mercados interno e externo. O peito bovino, por exemplo, está 15,9% mais barato, assim como o patinho (-11,65) e a carne de porco (-12%). Já a costela bovina ficou mais cara em 17% e o músculo, 6,1%. O preço do frango inteiro está 22% mais barato e o preço do frango em pedaços recuou 4,2%.

Por Unila

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *