Foz registra mais duas mortes e 57 novos casos de Covid-19

Hospital Municipal investiga sete casos de pacientes que após a recuperação, voltaram a apresentar sintomas do Covid-19

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirmou nesta quarta-feira (2), 57 novos casos de Covid-19, totalizando 5.192 casos da doença no município. Deste total, 4.918 pessoas já estão recuperadas.

Dos casos confirmados ativos, 134 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 75 pessoas estão internadas.

Dos 60 leitos de UTI da cidade, 57 estão ocupados.

Óbitos – Foz do Iguaçu registrou dois óbitos nesta quarta-feira (02) de pacientes vítimas da Covid-19. Uma mulher de 76 anos e um homem de 60 anos, ambos com comorbidades, estavam internados e não resistiram as complicações ocasionadas pela doença. O município contabiliza agora 65 óbitos pelo novo Coronavírus.

Hospital Municipal vai implantar ambulatório para acompanhar pacientes já recuperados de Covid e que voltaram a apresentar sintomas

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck pretende implantar, em até trinta dias, um ambulatório para o acompanhamento de pacientes recuperados da Covid-19.

A nova estrutura visa prevenir e acompanhar possíveis complicações tardias da doença e também monitorar casos de reativação ou reinfecção do vírus. Atualmente o hospital investiga sete casos de pacientes que após a recuperação, voltaram a apresentar sintomas do novo Coronavírus.

Os inquéritos sorológicos realizados na cidade também estimam que quase 40% da população de Foz do Iguaçu já teve contato com o novo coronavírus.

“A abertura de um serviço ambulatorial destinado ao atendimento de pacientes pós Covid-19 poderá trazer um maior nível de conhecimento sobre a doença, prevenir complicações tardias pela identificação precoce das mesmas e favorecer a reabilitação desses pacientes”, acrescentou o diretor técnico do Hospital Municipal, Fábio Marques.

Reinfecção – O Hospital Municipal investiga sete casos de pacientes que tiveram a Covid-19 e voltaram a apresentar sintomas da doença.

“Algumas pessoas que já tiveram a Covid pensam que estão imunes e acabam não se cuidando mais. Elas acham que já estão protegidas. Existe a possibilidade de que estes casos tendem a ser mais graves do que a primeira infecção”, comentou o diretor técnico.

“Estamos avançando no conhecimento sobre a doença e os possíveis casos de reativação/reinfecção nos mostram que é preciso redobrar os cuidados para prevenção do Coronavírus e reforçar o acompanhamento dos pacientes recuperados, tanto para prevenir complicações quanto para monitoramento deles”, ressaltou Sergio Fabriz, diretor do Hospital.

Com informações da AMN e do HMPGL 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *