Após trapalhada na saúde, em torno de 150 pessoas participam de velório de paciente de Covid-19

Foto Ilustrativa

A família acreditando ser morte natural como constou, primeiramente, no relatório do Obituário de Foz, realizou todos os procedimentos relacionados ao velório.

Segundo a família de Adão Pereira Duarte, de 72 anos, cerca de 150 pessoas passaram pelo local para se despedir dele. Somente por volta das 22h00 é que o hospital municipal avisou a família sobre o resultado do exame e a causa da morte pelo Covid 19. Foram seis horas de velório.

A trapalhada teria ocorrido no momento da liberação do corpo pelo Hospital Municipal, que não poderia ter autorizado o velório antes dos resultados da confirmação do contagio pelo Covid.

Pessoas que participaram do velório temem ter sido contaminadas pelo vírus por conta da irresponsabilidade de quem liberou o velório.

Familiares estão indignados e pedem providências.

O Hospital municipal se munifestou sobre o caso.

“O Hospital Municipal Padre Germano Lauck, de Foz do Iguaçu, lamenta informar o sexto óbito por COVID-19 ocorrido neste sábado, 20 de junho. O paciente de 72 anos foi transferido da UPA Joaõ Samek para o Hospital Municipal ‪às 00h34‬ do dia 20 de junho, em estado grave, sendo admitido na Unidade de Terapia de Doença Infecciosa, evoluindo para insuficiência respiratória aguda, sendo monitorado em ventilação mecânica. O óbito ocorreu às 3h15.

A unidade hospitalar seguiu todos os procedimentos do fluxograma para óbito de casos suspeitos da COVID-19. O teste para o novo coronavírus foi realizado ainda no leito do paciente.
Os profissionais do Hospital Municipal embalaram corretamente o corpo, com identificação relativa ao risco biológico. O serviço funerário, ainda sem a comprovação positiva para a doença, autorizou o preparo do corpo para velório.
Tão logo o resultado foi concluído e confirmado a Covid-19 no paciente, a equipe do Hospital entrou em contato com os familiares para repassar as informações. Porem, no período informado, o velório já estava ocorrendo e segundo informações repassadas, com aglomeração de pessoas no local.

A Vigilância Epidemiológica vai rastrear os familiares e todas as pessoas que foram ao velório, bem como os profissionais que manusearam o corpo do paciente, prescrevendo o isolamento domiciliar. O Hospital Municipal vai investigar este processo.

Recomendação
Vale lembrar que, mesmo se tratando de morte natural, os velórios estão contra indicados neste período de pandemia devido à aglomeração de pessoas e ao risco de transmissão da doença. O recomendado é que a cerimônia seja rápida e ocorra com no máximo dez pessoas, mantendo o distanciamento. Pessoas com mais de 60 anos ou que façam parte dos grupos de risco não devem participar de velórios. Para casos confirmados da Covid-19, o sepultamento é direto.

Assessoria de Comunicação
Hospital Municipal Padre Germano Lauck”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *